Portugueses Pelo Mundo – Copenhaga, Dinamarca

Viajamos até Copenhaga, capital da Dinamarca e casa dos “latinos da Escandinávia”. Apesar do frio esta é uma cidade vibrante onde os contrastes vivem em aparente harmonia. Pelas mãos de quatro portugueses, conhecemos esta que é uma metrópole rica e cosmopolita mas simultaneamente descontraída e artística, orgulhosa dos seus canais e cafés.

“Velkommen til København!”

Sofia Ribeiro,30 anos, Bióloga, natural de Lisboa. Encontramos a Sofia à hora de ponta das bicicletas perto do lago Søerne. Em casa, conhecemos a sua família e ficamos a saber um pouco mais sobre o sistema da educação dinamarquês e também que as casas dinamarquesas não têm cortinados para se aproveitar o máximo de luz. Vamos até ao Mercado de Christianshavn conhecer a tradição gastronómica do país, que até há pouco tempo não era muito valorizada. Temos também um encontro marcado com a família real da Dinamarca no Parque dos Veados para assistir a uma prova equestre. Antes de um concerto na Sala Veja, vamos até uma das melhores cervejarias da cidade.

Rui Monteiro, 53 anos, Jornalista, natural da Figueira da Foz. É no metro a caminho do centro de Copenhaga que conhecemos o Rui. O destino é o Ministério da Cultura, onde tem uma reunião marcada com o ministro e ficamos a conhecer a sua secretária que também é portuguesa. Vamos conhecer Aahrus, a segunda maior cidade da Dinamarca e local de residência do Rui. No centro de Aahrus, visitamos um museu ao ar livre, onde viajamos no tempo e experienciamos ao vivo a Dinamarca do século XVII ao XX. Por fim vamos até à Medienhus, local de trabalho do Rui, o canal que criou para dar voz às minorias e assistimos à gravação de um programa.

Jácome Armas, 26 anos, Estudante de Física, natural da Horta. É na “cidade alternativa” de Christiania que conhecemos o Jácome. É uma comunidade com leis próprias e uma história muito particular e é lá que ele vive. Apesar de ser conotada com o tráfico de droga, a experiência do nosso convidado mostrou-lhe que é apenas uma espaço de liberdade para aqueles que foram “excluídos pela sociedade”. Christiania é uma cidade dentro da cidade e vamos conhecer a casa que Jácome habita em partilha com muitas outras pessoas e ficamos a saber algumas das “regras” da mesma. Depois de um jantar em comunidade, somos convidados a assistir a uma palestra organizada pelo Jácome com o sugestivo tema “Ciência e cocktails”.

Deolinda Fonseca, 56 anos, Pintora, natural do Porto. Em Esplanaden conhecemos a pintora Deolinda que nos conta como chegou à Dinamarca e nos mostra as marcas das frequentes inundações que Copenhaga sofre. Em Nyhavn, uma das áreas mais caras de Copenhaga, apanhamos o barco e vamos conhecendo alguma da arquitetura da cidade e, claro, a sereia, um dos símbolos mais conhecidos da Dinamarca. Na Associação 18 de Novembro, Deolinda mostra-nos alguns dos seus trabalhos mais relevantes e assistimos a um pouco da sua arte em ação. No centro de Copenhaga, Deolinda leva-nos a jantar com alguns amigos a um dos seus restaurantes favoritos: o Famo

scroll to the top of the site