Artigos Relacionados

  • Sofia Lage

    Cara Viviana

    A Dinamarca é de facto um país extraordinário! Apenas passei uns dias de férias em Copenhaga… E deu para ficar deslumbrada!

    Desejo-te muita sorte e que corra tudo pelo melhor. Já passei um inverno na Noruega, a Dinamarca é melhor, acredita!

    E por curiosidade, o que estudas tu?

    Saúde e sorte (copiado de outro corajoso como tu) 😉

    • Viviana Garcia

      Olá Sofia,

      Obrigada pelas tuas palavras! Realmente pensei que por esta altura já estaria a viver um Inverno rigoroso mas afinal também há Outono na Dinamarca! 🙂 Por outro lado, já me disseram que pode ficar a nevar de Janeiro a Abril/Maio… será?!

      Estou a estudar cognição e semiótica mas enfim, digamos que nesta fase ainda estou a tentar aprender como é que hei-de ler tanta coisa todas as semanas! 🙂

      E tu, voltas à Escandinávia?
      É mesmo isso, saúde e sorte também!

      • Diana Duarte

        Olá Viviana!
        Ainda nem tenho palavras para descrever o quão feliz estou ao descobrir que os ensino é gratuito para nós europeus por aí…
        Muito muito obrigada por divulgares essa informação!
        Eu gostava imenso de poder trocar contigo umas ideias acerca disso, porque também penso sair do país e como já estive em Copenhaga e adorei, é agora uma forte possibilidade 🙂 podes deixar-me um contacto teu?

        Obrigada mais uma vez e um beijinho do Porto carregado de sol e boa energia para ti! 🙂

      • Sofia Lage

        Olá Viviana!

        Obrigada eu! 😉

        Também me lembro de ter nevado logo (eu fui em Outubro) e eles disseram-me que neve a sério era só a partir de Janeiro! Prepara-te! E sim, pode ir até Abril! Mas o sol a brilhar na neve é maravilhoso! Os dias frios, com céu descoberto são um bálsamo!
        Não sei se na Dinamarca se poderão ver auroras boreais, espero que sim!

        De momento estou desempregada, não era má ideia… 😉
        Beijinho e… Saúde e sorte
        Sofia

  • Joana

    Olá Viviana!
    Ao contrário de ti, eu desde que comecei a trabalhar ( há 5 anos) sempre tive o bixinho de sair de Portugal, quando comecei a perceber que neste país não é possivel constituir uma carreira, que tanto vale empenhares-te ou não, que o reconhecimento é todo igual, ninguem valoriza nem respeita ninguem, só há regras para alguns e a possibilidade de estabilizar na vida, poder fazer planos a longo prazo, é sempre uma odisseia. Um jovem licenciado tem que se contentar com o trabalho que arranjar para pagar as suas contas sem poder fazer planos para dinheiro que não sobra, pior que tudo perceber que isto não é uma fase que passa, vai prolongar-se uns bons anos e entretanto a vida passou…É por isso que sempre quis sair daqui, procura oportunidade de emprego no estrangeiro mas é muita informação pouco concreta e acabo sempre por pensar…se calhar não é assim tão melhor lá fora, e penso ”é melhor contentar-me com o emprego que tenho aqui do que mudar para pior”. Indo por partes, não tenho familiares ou amigos em país nenhum que me possam dar a mão, então penso fora da Europa é complicado obter vistos, dentro da Europa estão sempre a atormentar com o tempo, invernos rigorosos, aproveitam-se de ti porque sabem da crise de Portugal..e no Norte da Europa n há Sol. Depois é a barreira linguistica, fora do ingles…não há idioma que saiba falar fluentemente como preciso para trabalhar na Saúde que é a minha área…Depois leio um testemunho como o teu e que me enche de esperança!
    Espero que tenhas muita Sorte! (Invejo-te no bom sentido) Muita coragem e Saúde para poderes disfrutar do que esse País te pode oferecer. Contrabalançando…as 2 vezes por ano compensam o esforço que fazes em estar longe comparativamente ao esforço que fazemos para ter uma vida dita normal aqui em Portugal.
    Beijinhos* Joana

    • Andre

      Ola Joana, estou em Paris e sinto me muito bem e bem pertinho de Portugal se quiseres responder.

  • Pedro Freire

    Viviana Garcia, viva.
    Tal como a Viviana, considero a opção de sair do pais e voltar a estudar. Achei curioso o seu depoimento e o percurso que decidiu abraçar. Gostaria, de trocar ideias consigo e de recolher mais infos acerca da sua experiência pessoal. Se não vir inconveniente adicione-me p.f. ([email protected]). Um bem haja.

Copyright 2015 Como Emigrar