Emigrar para Angola: um dos destinos de preferência

No espaço de quatro ou cinco anos, estima-se que mais de 150 mil portugueses entraram em território angolano em busca de uma oportunidade.

Não existem números oficiais de portugueses que emigraram para Angola, mas desde o inicio da crise em Portugal e no mundo, Angola tem sido um dos países de preferência para portugueses que desejaram emigrar.

A língua facilita muito em termos laboral e comunicacional, aliado à falta de mão de obra especializada, Angola tem sido um dos locais preferenciais para portugueses. Para fora da Europa, Angola representa cerca de 80% dos pedidos de visto efectuados no consulado (15% para Moçambique e os restantes em maior número são para o Brasil, Canadá, etc).

«Angola não é o El Dorado que muitos julgam», a frase é do jornalista Hermínio Santos, director do jornal Briefing. A afirmação foi feita em termos de alerta, já que ‘nem tudo o que parece é’. Por exemplo, a capital Luanda, tem perdurado nos tops de uma das cidades com o mais alto custo de vida do mundo.

Os acessos rodoviários em Angola, em várias áreas do território, poderão ser um pesadelo. As estradas são de relativa qualidade na capital e em mais algumas cidades, fora dos grandes centros populacionais os acessos são feitos em alguns casos com extrema dificuldade de deslocação. As infraestruturas básicas estão muito pouco desenvolvidas, por exemplo, só 10% da população de Luanda tem água canalizada permanente, em outros locais da cidade, existe acesso a água canalizada mas com muitos cortes diários. O mesmo acontece com a luz, onde os cortes de electricidade são uma constante em vários locais.

CUIDADOS A TER

A vacina para a febre amarela é obrigatória e aconselha-se que se vacine como prevenção, à profilaxia da malária. Não convêm beber água da torneira, caso tenha possibilidade beba apenas água engarrafada. Neste caso da água, evite também comer vegetais não cozinhados que sejam lavados com água corrente, principalmente saladas.

CUIDADOS DE SAÚDE

Os serviços médicos são muito precários, em relação aos padrões europeus são muito piores. Os locais onde poderá obter um serviço de qualidade será nas clínicas privadas, mas ai os preços praticados são bastante dispendiosos.

SEGURANÇA NO PAÍS

É cada vez mais seguro viver em Luanda, quem o afirma são as autoridades locais, que até certo ponto se confirma. Mas há que recordar que Luanda se transformou numa metrópole, e como em todas as metrópoles há que ter certos cuidados e a devida cautela, como por exemplo a circular à noite, zonas não iluminadas e locais ermos. Em zonas mais problemáticas é aconselhável evitar a ostentação de acessórios / indumentária de grandes marcas.

OBTENÇÃO DE VISTO

As autoridades angolanas exigem que exista um contrato laboral firmado com o empregador. Isto é o que o estado angolano obriga, mas tal não se tem vindo a verificar, muito por causa de não haver muita inspecção, fazendo com que muitos portugueses emigrem para Angola sem qualquer vínculo contratual ou autorização de trabalho. Tente ser o mais correcto possível no pedido de visto, para evitar situações desagradáveis já em território angolano. Os vistos de entrada em Angola são facilmente obtidos desde que sejam cumpridas as devidas exigências.

SALÁRIOS BASE

Luanda lidera o ranking das cidades mais caras do mundo. Este título é-lhe atribuído por diversos motivos e factores, a alimentação é cara, para produtos importados é ainda mais cara, no caso de um restaurante, uma refeição normal pode ascender aos 100€. Quem tem filhos, a factura aumenta ainda mais, uma boa escola ou infantário pode custar mais de 1000€ por mês. Uma casa numa zona calma e de classe média na capital, Luanda, pode custar por mês, à volta de 4000€ ou mais.

Portanto, qualquer salário de 5000€ que lhe pareça ser um grande bónus, comparando aos salários em Portugal, muita atenção, que para ter o mesmo nível de vida que tem no seu país, esse valor oferecido não lhe vai chegar.

scroll to the top of the site